reais

Se você chegou aqui, provavelmente percebeu que a organização da parte financeira da sua vida é essencial para que todo o restante funcione de forma harmoniosa: sua realidade, seus sonhos e objetivos precisam de uma boa base para que te proporcionem bem-estar. Mesmo que esse seja um processo pessoal e único, a escalada para a saúde financeira não precisa ser solitária. 

No Brasil, 62,56 milhões de pessoas estão endividadas, segundo o Mapa de Inadimplência do Serasa, em maio. Em números, fica claro que a situação saiu do controle para boa parte dos brasileiros, principalmente considerando as taxas de desemprego e o aumento das dívidas durante a pandemia. É necessário que cada um desses mais de 62 milhões de pessoas decida organizar suas finanças. 

Ter um orçamento familiar ou pessoal é uma proposta que costuma assustar. Na verdade, quando os assuntos envolvem dinheiro, automaticamente se torna um tópico sensível. Depois da tomada de decisão, o primeiro passo é se dedicar a anotar todo o orçamento detalhadamente, com divisões que incluem os ganhos e gastos. É claro, os ganhos salariais são óbvios, mas também devem ser incluídas quaisquer rendas extra, como recebimento de aluguéis e pensões. 

Na parte das despesas, separá-las em gastos fixos e voláteis ajudará a ter uma noção mais ampla do que pode ser economizado. Por exemplo, contas mensais, consumo de serviços e parcelamentos são despesas fixas, enquanto a troca de móveis, idas ao shopping e restaurantes são enquadrados no segundo montante, já que não são tão recorrentes. É comum que pequenos gastos sejam facilmente esquecidos, mas na somatória, eles podem consumir uma parte considerável da sua renda. 

Por último, e não menos importante, incluir as dívidas como parte do seu planejamento é o que trará a real saúde financeira. É comum que despesas antigas não quitadas sejam mantidas distantes e adiadas para um momento futuro em que a situação esteja mais favorável. Porém, elas não deixam de existir simplesmente porque não estão aparentes, e é importante mantê-las sob os olhos para que o débito seja concluído o mais rápido possível.

Enxergar o problema é o primeiro passo para resolvê-lo. O segundo é contar com a Sofi para encontrar a melhor forma de pagamento para a sua situação. Aqui, um cadastro rápido já garante que diversos profissionais estejam a postos para negociar uma forma de reverter suas dívidas empresariais. Depois de entender como sua renda é consumida pelas despesas, o dinheiro restante pode ser usado para a quitação, e para isso, existe a proposta mais adequada para quem negocia com a gente. 

Organização financeira pode ser feita em dupla: você e a Sofi. Você nos diz o que é possível fazer, e nós indicamos o melhor caminho.

Leave a Reply

Your email address will not be published.